Versionamento de Sistemas – Introdução 1


post

O Versionamento de Sistemas aborda uma situação bastante frequente entre programadores e desenvolvedores de sistemas: Quem  nunca “se perdeu” no meio da programação de um projeto depois de atualizar ou corrigir o projeto por diversas vezes?

Pode ser muito complicado encontrar um erro e não saber  o que o gerou, sendo levado a dar ctrl+z até que o código volte ao seu estado antes do erro, e com isso, o programador perde muito tempo de trabalho. Sendo assim, o versionamento de sistemas é uma forma de solucionar este problema bastante comum na área de TI, entre os desenvolvedores de sistemas, sites ou softwares.

introducao

 

 

 

A utilização do método de Versionamento de Sistemas é ideal para trabalhos em equipe, onde mais de uma pessoa trabalha no mesmo projeto. Dessa forma, é possível controlar quais alterações “irão para o ar” e quais serão desconsideradas. Porém, também é muito útil para uma só pessoa que deseja manter seus projetos organizados por versões. Sendo assim, o programador pode diferenciar o estado dos códigos antes e após as melhorias, o que facilita a localização de erros, otimizando o trabalho e garantindo maior segurança.

O versionamento de sistemas/códigos é feito através de algum software especializado; um exemplo é o Git e Git Hub. Nos próximos posts, abordarei melhor esse software.

como funciona

 

 

Existem 3 campos separados por ponto, onde:

versionamento ilustração

Cada campo corresponde à quantidade de alterações feitas nos módulos, controles e ações  do sistema. Sendo assim:

O primeiro campo corresponde à quantidade de alterações feitas nos módulos que o sistema possui;

O segundo campo corresponde à quantidade de controles que serão adicionados ao sistema.

Já o terceiro campo corresponde à quantidade de ações que foram modificadas no sistema. As ações seriam correções simples, como por exemplo, alteração de texto.

Observação: Os controles do segundo campo se referem à adições de funções ou páginas e classes/objetos.

EXEMPLO:

Vamos supor que você irá desenvolver o seu primeiro sistema com versionamento de código. Esse sistema possui 3 módulos e dois controles. Portanto, a versão dele seria: 1.0.0

O primeiro campo 1.0.0 é alterado ao adicionar novos módulos ao sistema. Então se você inserir dois módulos em seu sistema, como, por exemplo: Cadastro de clientes e Cadastro de Fornecedor, dois novos módulos seriam adicionados ao seu sistema. Então ficaria assim: Versão 2.0.0;

O segundo campo 2.0.0 corresponde à quantidade de controles adicionados ao sistema (páginas e classes/objetos). Vamos inserir quatro páginas ao seu sistema, sendo elas:
1 – Cadastrar Cliente;
2 – Consultar Cliente;
3 – Cadastrar Fornecedor;
4 – Consultar Fornecedor;
Então fica assim: 2.4.0 ;

O terceiro campo 2.4.0  corresponde à quantidade de ações. Neste caso, vamos supor que essas ações ocorreram devido à uma correção ou melhoria da ação de um campo a mais de formulário (no qual não sejam geradas novas funções visíveis ou invisíveis ligadas à novas classes, caso contrário não seria apenas o campo 3  que mudaria, mas sim o segundo campo também, pois classes são controles do sistema).
Então ficaria assim: 2.4.1 ;

Parabéns! Seu sistema está na versão 2.4.1.

conceito

 

 

Temos uma padaria, e nessa padaria somente pães são feitos, e temos a receita do pão de sal:
VERSÃO 1.1.0

Por algum motivo as vendas despencaram porque o pão estava muito salgado, então foi feita uma modificação na receita do pão de sal:
VERSÃO 1.1.1

Agora a padaria vai venderá também pães doces. Sendo assim, uma nova receita foi acrescentada (dentro do “módulo” pão), portanto o segundo dígito aumenta em 1;
VERSÃO 1.2.1

Agora essa padaria começa também a vender bolo de chocolate. O bolo de chocolate não entra na categoria pães, portanto a categoria bolo de chocolate está dentro de um novo “módulo”, que seria o módulo Bolos. Desta forma, existe um módulo novo e uma receita nova. O primeiro campo subiu para 2 e o segundo campo subiu para 3.
VERSÃO 2.3.1

Espero que esse post tenha ajudado você a entender o conceito do versionamento de sistemas, tal como a sua importância. Em breve, falarei a respeito do Git, que é um software de versionamento de sistemas bastante utilizado.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

One thought on “Versionamento de Sistemas – Introdução