Git e Git Hub: Entenda de forma simples e prática


post-git-faceSe você é programador(a) ou desenvolvedor(a), provavelmente já ficou “perdido” no meio de uma programação, após alterar atualizar o código por diversas vezes, não é mesmo? Pois é, esta situação é complicada, mas existe uma maneira eficiente de resolver esse problema.

Anteriormente fiz um post sobre o conceito de Versionamento de Sistemas, e desta vez vamos falar sobre o Git e o Git Hub de forma muito simples.

O QUE É GIT E GIT HUB?

o Git é um sistema que faz o controle de versões de códigos/arquivos. Desta forma, diversos usuários podem desenvolver um mesmo projeto simultaneamente, sem perder nenhuma alteração. Para utilizar o Git, é necessário fazer a instalação do sistema. É quem faz todas as ações e alterações de códigos.

Para instalar o Git para Windows, clique aqui.

Para unstalar o Git para Mac, clique aqui.

Para outras opções, como Linux/Debian, utilize o comando a seguir: sudo apt-get install git

Já o Git Hub é um repositório online, ou seja: o Git Hub é uma forma de manter todas as versões salvas na nuvem. As vantagens de utilizar o Git Hub são inúmeras! Já pensou se o seu projeto estiver salvo somente no seu computador, e o seu computador pegar fogo ou for roubado?

Com o Git Hub, seus projetos ficam salvos na nuvem, com cada versão dos seus projetos salvas. Sendo assim, é possível “voltar” seus projetos à versões anteriores ou posteriores, além de ter como analisar os códigos antigos e a evolução dos seus projetos.

Para utilizar o Git Hub, é necessário apenas criar uma conta. Para criar sua conta, clique aqui. Após criar sua conta, basta adicionar um repositório para armazenar seus códigos de forma pública ou privada.

Para entender melhor, vamos à alguns conceitos:

conceito

Snapshots/ Branchs e Merges:

Um branch ou snapshot divide o seu projeto em duas partes, ou seja, dois códigos serão abertos. Um deles, é a parte “real’, ou seja, aquele código que já está em funcionamento. Já a outra parte é aberta para que quaisquer alterações sejam feitas. Após finalizadas as alterações e/ou edições, é feito um merge.

Já a função do merge é “juntar” os dois códigos. Caso uma mesma linha de código seja diferente nos dois códigos, um “conflito” é gerado para que você possa escolher qual código será o definitivo. Desta forma, ao unir os dois códigos, você altera a versão do seu projeto de maneira simples, limpa e segura.

Se você gostou deste post ou tem alguma sugestão, deixe um comentário. Em breve adicionarei novos posts sobre o Git e Git Hub. Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *